04/08/2016

Meus rabiscos: Gestos e sorrisos.




Hi guys, tudo bom com vocês?

Estive sumida como sempre, mas tenho posts prontos aqui nos rascunhos, algumas tags e outros sobre dicas, eu apenas não postei '-'

Bom, gostaria muito que lessem até o final (mesmo depois dos ♥~♥~♥) pois não posso enrolar muito aqui, se não a intro não vai ficar ajustadinha.





Eu estava a um fio para chorar. As lágrimas pareciam querer saltar de meus olhos. Eu não ia conseguir conte-las por muito tempo. Ele ia me fazer passar vergonha.

"- Eu te amo, Lily, eu te amo e sempre vou te amar - disse ele tão convicto e sorridente.
- Não diga coisas que não tem sentido, imbecil - falei sorrindo.
- Você sabe que o que eu disse é verdade.
Depois de sorrirmos mais uma vez um para o outro ele selou nossos lábios e me fez esquecer o mundo."

Lembrava-me de cada momento em que passamos juntos, momentos felizes e tristes.

"- Eu já disse tantas vezes o que sinto, Lilyan, e acho egoísmo de sua parte não dizer o que sente - ele disse, tão baixo que eu quase não escutei.
- Eu sinto muito, Chaz, mas eu tenho medo, você sabe disso - falei já deixando algumas lágrimas molharem meu rosto.
- Você só precisa dizer que gosta de mim, eu quero ser retribuído, não precisa ser da mesma forma - ele disse limpando suas lágrimas - Mas se não me ama, apenas finja, por favor.
Foram suas últimas palavras antes de sair do quarto e me deixar ali totalmente desamparada. Eu precisava da ajuda de alguém, mas quem seria esta pessoa se a única que eu tinha para desabafar era quem me deixou naquele estado?"

Eu queria dizer algo, queria que palavras saíssem da minha boca, mas eu não conseguia fazer som algum. Abri minha boca diversas vezes na tentativa de escutar algo da mesma, mas eu não sabia o que dizer.

"- Eu te amo, Charles, com todas as minhas forças - sussurrei em seu ouvido fazendo-o arrepiar.
Ele me olhou maravilhado, como se tivesse sido a primeira vez em que ouvira aquilo.
- Parece até que é a primeira vez que escuta isso de alguém - falei sorrindo assim que o vi sorrir.
- É a primeira vez que realmente faz sentido Lily, você não percebe? É a primeira vez que você diz 'eu te amo' pra mim. Isso não é perfeito?
- Considere uma coisa muito, muito boa - falei sorrindo e lhe dando um selinho.
Ele me envolveu em seus braços em um abraço aconchegante. Eu tinha certeza, mais do que absoluta, que nunca queria sair dali. E, mais uma vez, eu senti como se o mundo parasse e só existisse eu e Charles no mundo."

 Tudo passava tão rápido em minha cabeça. Era como um filme que mostrava tudo o que passei ao lado de Chaz. Lembrei-me até do dia em que ele me pediu em namoro, um dos melhores da minha vida, com certeza.

"- Olha, Lily, sei que você não gosta de se precipitar com as coisas mas eu tenho um pedido a fazer. Sei que você gosta de deixar o tempo resolver os problemas, sei que você já foi magoada muitas vezes, sei que você é a garota mais marrenta do planeta, sei que você tem medo de se abrir com as pessoas, sei que você talvez não aceite meu pedido, sei que sua cor favorita é roxo e que você acha lindo quem come comida japonesa mesmo odiando comida japonesa. Sei disso e de muito mais. Mas eu queria, além de saber da sua vida e da sua pessoa, participar da sua vida pelo resto da vida e ser parte da sua pessoa, então, aceita namorar comigo?"

Lembro exatamente como me senti naquele dia, lembro das dúvidas e das certezas que passaram em minha cabeça.

"- Levanta Chaz - falei. Ele me olhou um pouco confuso mas fez o que eu pedi - É claro que eu aceito - pulei em seu colo o abraçando forte e ele correspondeu. - Eu aceito, aceito com todas as letras.
- Eu te amo - ele disse me apertando mais."


Lembrei de todas as promessas e juramentos que havíamos feito um para o outro e percebi que Chaz era a única pessoa que fazia eu me sentir completamente amada.

Totalmente perdida, caminhei até o pequeno palco daquele restaurante italiano, peguei o microfone da mão de Charles, e falei tudo que eu estava sentindo, tudo que ele me proporcionava, tudo o que ele significava pra mim e o quanto eu amava, e então eu o abracei como se fosse a última vez.

- É claro que eu aceito me casar com você. - sussurrei.

Não precisávamos de mais nada, aquele sussurro e o abraço já dizia tudo por nós.

E então lhe deixo a seguinte pergunta:
O que são as palavras quando existem gestos e sorrisos?


Escrito por: Nathália F. de Abreu

 ♥~♥~♥ ♥~♥~♥ ♥~♥~♥ ♥~♥~♥ ♥~♥~♥ ♥~♥~♥ ♥~♥~♥ ♥~♥~♥ ♥~♥~♥ ♥~♥~♥ ♥~♥~♥

Seria mentira se eu dissesse que estou confortável de postar esse tipo de texto aqui no blog, pois eu sinceramente não me sinto.
Eu gosto do que escrevo, mas mostrar pra Deus e o mundo aquilo que eu guardo só pra mim é meio complicado haha, sinto como se não gostassem. Mas me encorajaram a publicar, então esta ai.

Muita gente vai se perguntar se aconteceu algo relacionado ao texto, comigo ou com alguém que eu conheço, mas não. O texto é completamente fictício e fruto da minha mente ~fértil~. Eu nem sei ao certo o que me inspirou a escreve-lo, acho que foi o filme Simplesmente Acontece, mas sei lá.

Espero do fundo do meu coração que todos gostem, pois pode ser que eu não tenha talento para tal coisa, mas é algo que eu gosto de fazer e é isso que eu sempre passei para vocês que leem meu blog, fação aquilo que gostam ♥

Aaaaaaah. visitem o Space Girls.

Muitos beijos, amo vocês.

Nathália Freitas de Abreu

Nenhum comentário:

Postar um comentário